Esta é a Introdução de uma série de posts, onde iremos discutir os fatores de mudança e as habilidades que deverão ser desenvolvidas para a jornada relacionada ao estabelecimento da Economia do Conhecimento.

2015.05.25 – Nelson Marinelli Filho.

Eric Hobsbawn, quando questionado sobre os fatores que levaram a Humanidade a evoluir cientificamente e tecnologicamente de maneira tão intensa no século XX, respondeu de forma muito assertiva: foi a disponibilização de escolas públicas, gratuitas e de bom nível para os filhos dos trabalhadores logo no início do século que levou a Humanidade a acumular conhecimento e conquistas em uma proporção incrível, se comparados com os seis mil anos anteriores de nossa história (The Age of Extremes: The short Twentieth Century, 1914-1991).

Esta é uma é uma percepção que só um humanista deste calibre poderia realizar e continua válida: nossas escolas são os nossos maiores patrimônios. No entanto, desde a Segunda Guerra Mundial este precioso ativo da Humanidade tem se desgastado, perdendo valor em nossas vidas e, no momento atual, a formação acadêmica está tornando-se uma simples commodity.
Este ciclo pode ser muito bem entendido através das observações sobre a perda de valor intrínseca a instalação dos mecanismos de Governança Corporativa, que William Pounds explicou muito bem ao longo de sua carreira. William Pounds foi Diretor da Sloan Management School, do renomado MIT, e considerado por muitos a maior autoridade mundial em Governança Coorporativa. Mas esse ciclo iremos discutir em outra oportunidade futura.
Neste momento, achamos mais produtivo discutir quais são os fatores mundiais que fazem pressão pela modificação da escola, de seu papel e valor. E depois, em função desses fatores de mudança, quais serão as habilidades que nós deveremos desenvolver para atender a demanda do mercado de trabalho da próxima década.
São seis os fatores de mudança que iremos discutir neste trabalho:

1) O aumento da expectativa de vidas das populações mundiais;
2) A expectativa do aumento da inteligência das máquinas;
3) O Mundo computacional;
4) O novo ecossistema da Mídia;
5) Organizações Superestruturas;
6) Mundo globalmente conectado.

 

Esperamos que vocês nos acompanhem nesta discussão e contribuam com as suas ideias e conhecimento.

Obrigado. Nelson.

 

Nelson Marinelli Filho é D.Sc. (Engª Mecânica) pela USP e Gestor de Inovação da ATIVECON, onde desenvolve projetos de Inovação nas mais variadas áreas da economia com seus clientes, modelagem de negócios Web e programas de treinamento e capacitação.

admin | matheus@ativecon.com.br

Related Posts

Quando eu era criança, na década de 1970, na tv preto e branco havia uma série de desenhos chamada “The Marvel Super Heroes”, que basicamente fazia uma apresentação de slides, narrada, com os quadrinhos da Marvel, Capitão América, Vingadores, Hulk, etc. Se você quiser, é possível escavar algo dessa série no YouTube. Uma dessas estórias […]

Esta pequena estória já me acompanha há vinte e seis anos, desde que eu a li em um gibi do Capitão América. Gibi mesmo, ainda demorou um bom tempo para essas publicações serem chamadas de quadrinhos…e eram bem baratas. Mas a sua mensagem torna-se incrivelmente útil em nosso momento atual e vale uma pequena discussão. […]

Trasformamos um excelente artigo de CHRIS ANDERSON (curador do TED), sobre como arrasar em uma apresentação, em uma sequência de slides que vocês podem usar e compartilhar livremente.   [inbound_forms id=”176″ name=”Como arrasar em uma apresentação”]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *