No post anterior falamos sobre como as Tecnologias da Informação e Comunicação ajudam as empresas de e-commerce a conquistar cada vez mais clientes e como isto afeta os comerciantes locais. Neste post vamos apresentar as quatro regras fundamentais que estes devem estar em seu planejamento para enfrentar esta concorrência.

1) Saiba quando e onde a sua audiência estará procurando e ouvindo.
O mais provável, é no celular. Um dos mais erros básicos que os atores do comércio local comentem está na incapacidade de perceber onde as pessoas vão ouvir sobre a sua empresa, ou em quais itens um potencial cliente vai olhar para saber mais. Um monte de canais de publicidade que são inerentemente móveis – podcasts por exemplo – não são apenas relativamente baratos, mas uma ótima maneira de encontrar, um público altamente específico engajado tecnologicamente. Gerar o “boca a boca” é muito mais fácil quando você está nas ruas. Como um comerciante local você precisa para explorar toda e qualquer oportunidade de falar com o seu cliente ideal.
2) Não abandone a sua loja, mas também não seja um dinossauro!
O e-commerce certamente tem sido uma grande força democratizante, pois tornou mais barato do que nunca iniciar um negócio, mas é impessoal. Esta é a grande vantagem competitiva do comércio local.
Chama a atenção neste contexto o fato comportamento dos consumidores de sapatos que, quando estão comprando não querem que clicar sobre uma imagem e fazer uma compra baseado fora de algumas fotos. Em vez disso, eles querem se sentir, tocar e experimentá-los. Os consumidores sempre necessitaram e querem dialogar com alguém conheça profundamente o produto e sobre quais são as suas opções.
As empresas de maior sucesso no e-commerce, com produtos de alto valor agregado, utilizam intensamente as mídias sociais para diminuir este problema. O comerciante local deve fazer o mesmo: utilizar a tecnologia para melhorar a ainda mais a experiência de compra de seu cliente.
Se você não está abraçando o mais recente canal de mídia social, seus concorrentes estão e, provavelmente, você já está dois passos para trás.
3) Faça o seu cliente se sentir especial.
O consumidor está cada vez mais exigente. Vivemos em uma sociedade orientada para o consumo, onde muitas vezes podemos sentir como se ela estivesse nos dizendo para comprar “mais, mais, mais.”. Este discurso está ultrapassado! As marcas prosperam nas mídias sociais com estratégias que procuram fazer as pessoas se sentir como eles realmente conhecessem as empresas de que estão comprando e que podem realmente interagir com elas quando quiserem.
Assim, o comerciante local deve manter e cuidar de comunicar muito bem que ele está o tempo todo próximo de seu cliente e pronto para auxiliá-lo. Se, por exemplo, quando um cliente leva para Twitter um problema, a resposta deve ser rápida no Twitter, mas solução deve ser acompanhada de uma nota escrita à mão.
4) Torne a experiência online um espelho da experiência off-line e vice-versa.
Os comerciantes locais devem se esforçar para que os seus clientes tenham a mesma experiência off-line e online. É como você deixar seus clientes saber que eles estão no lugar certo.
Isto é feito com muito senso estético, curadoria e propostas de colaboração, ou seja, você não vai chegar a lugar nenhum com uma linda loja e um site ultrapassado que não funciona no celular de ninguém!
A tecnologia nos permite automatizar as coisas. Ela nos permite comunicar com pessoas de todo o mundo que nós nunca poderemos realmente encontrar. Essas noções parecem em desacordo com a ideia fundamental de proporcionar uma experiência local pessoal. Mas isso não é verdade, pois ao usarmos corretamente os recursos que as TICs disponibilizaram a todos somos capazes de desenvolver e entregar mais rapidamente produtos inovadores, com design acurado, e permanecer próximos de nossos clientes.
Basta saber usar e planejar!

Nelson Marinelli Filho

Gestor de Inovação

nelson@ativecon.com.br

Nelson Marinelli Filho | nelson@ativecon.com.br

Related Posts

Esta pequena estória já me acompanha há vinte e seis anos, desde que eu a li em um gibi do Capitão América. Gibi mesmo, ainda demorou um bom tempo para essas publicações serem chamadas de quadrinhos…e eram bem baratas. Mas a sua mensagem torna-se incrivelmente útil em nosso momento atual e vale uma pequena discussão. […]

Trasformamos um excelente artigo de CHRIS ANDERSON (curador do TED), sobre como arrasar em uma apresentação, em uma sequência de slides que vocês podem usar e compartilhar livremente.   [inbound_forms id=”176″ name=”Como arrasar em uma apresentação”]

Este post começa a discussão sobre os principais fatores de mudança e as habilidades que deverão ser desenvolvidas para a jornada relacionada ao estabelecimento da Economia do Conhecimento.   2015.06.01 – Nelson Marinelli Filho Ao utilizarmos a ideia de que as populações mundiais estão envelhecendo estamos apenas resumindo todo o conjunto de eventos relacionados à […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *